Femarh realiza ações de monitoramento e controle ambiental no sul do Estado.

A Diretoria de Licenciamento e Gestão Ambiental da Femarh (Fundação Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos) realizou no decorrer da semana passada ações de monitoramento ambiental em empreendimentos na região sul do Estado de Roraima, no município de Rorainópolis, em vicinais localizadas nas Vilas do Equador e Novo Paraíso.

O monitoramento ambiental consiste na coleta de dados, estudo e acompanhamento contínuo e sistemático das variáveis ambientais, com o objetivo de identificar e avaliar variáveis quantitativas e qualitativas em um determinado momento, bem como verificar as tendências ao longo do tempo.

As ações de monitoramento foram referentes aos processos de Autex, termo utilizado pelo sistema DOF (Documento de Origem Florestal), para identificar autorizações ambientais, emitidas pela Femarh, com o tipo de autorização, o ano do lançamento, o número de identificação no sistema, seu tipo e ano além do número de expedição.

Na prática os analistas da femarh recebem a determinação do da Diretoria de Monitoramento e Controle ambiental a fim de verificar os compromissos assumidos pelo empreendedor no processo de extração da madeira, o seu processamento, o aproveitamento dos volumes utilizados em atividades secundárias e de menor valor econômico agregado.

As vistorias nas propriedades foram realizadas pelos analistas ambientais da Femarh, Saymon de Oliveira e Carlos Zanata. Segundo eles, na prática, as ações de monitoramento consistem na visita a propriedade licenciada e lá, de posse do processo verifica-se a localização exata da propriedade com a utilização de GPS (Sistema de posicionamento global) e em seguida é verificada as condições da área e as finalidades as quis foram licenciadas a fim de verificar a regularidade das autorizações comparando-as ao que ocorre na propriedade licenciada.

Segundo Flávia Furtado, diretora em exercício da Diretoria de Licenciamento e Gestão Ambiental, as ações da Femarh serão contínuas e executadas de duas maneiras, a primeira é o monitoramento por imagens de satélite.

A segunda, com as visitas nas propriedades onde só é possível a verificação física, como por exemplo, a criação de bovinos, atividade fim as quais fora licenciada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content